Get Adobe Flash player

Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

"Precisamos de menos confronto e mais encontro”, defende Lamachia no CNJ



Brasília – O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, defendeu maior diálogo entre os diferentes setores da sociedade como forma de o Brasil superar a crise política. A fala foi na abertura da primeira sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) presidida pela ministra Cármen Lúcia, ocasião em que Lamachia também desejou boa sorte para a recém empossada presidente do Supremo Tribunal Federal. A presidência do CNJ é ocupada pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal.

“Ministra Carmem Lúcia fiz questão de comparecer hoje ao CNJ nesta primeira sessão sua na presidência desse importante conselho exatamente para reafirmar o sentimento da OAB no que diz respeito à importância do CNJ. Temos uma luta histórica da OAB e da sociedade brasileira pelo fortalecimento do CNJ, pela importância que tem este órgão e quero aqui neste momento ao desejar-lhe em nome da advocacia brasileira, dos quase um milhão de advogados, uma boa gestão”, disse Lamachia.

Ao discursar nesta primeira sessão presidida por Cármen Lúcia, Lamachia mencionou a atual crise política e destacou que o momento requer serenidade. “Vivemos hoje tempos tormentosos no Brasil. Precisamos de força, mas acima de tudo, precisamos da serenidade. Tenho afirmado que o Brasil precisa de menos confronto e de mais encontro. O Brasil precisa encontrar na tolerância a forma de vencer a arrogância e tenho convicção de que a advocacia, o poder Judiciário e o Ministério Público têm um papel fundamental neste momento”, afirmou Lamachia.

Ao detalhar as três prioridades de sua gestão, a presidente do CNJ pregou maior eficiência e transparência. "O cidadão espera resultados. Ele nos paga para termos eficiência. Quem tem fome de justiça tem pressa", disse ela. "Nós devemos explicitar as razões de cada medida e do uso dos recursos. Aqui não haverá nada sem exposição ao cidadão. Tudo que for feito será de portas abertas", declarou Cármen Lúcia.

O presidente da OAB colocou a Ordem como parceira na missão de fortalecimento do CNJ. “Quero também lhe dizer que estaremos ombreando lado a lado com Vossa Excelência e com todos os conselheiros no sentido deste caminhar permanente do fortalecimento deste importante órgão que é o CNJ. Quero lhe desejar também em caráter pessoal muito sucesso nesta missão”, declarou ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário